Integração de Sistemas

GEO-IoT

Sistemas de Terceiros na Plataforma

Os diferentes softwares instalados dentro das organizações precisam ser integrados

Um dos pilares da Indústria 4.0 é ter uma maior integração de sistemas em uma organização, visando aumentar eficiência como um todo, trazendo mais rapidez na tomada de decisões, redução de perdas, evitar desperdícios e aumentar a produtividade e consequentemente os resultados operacionais.

 

A integração é uma das partes mais importantes para o sucesso da implantação do GEO-IoT Local e também do GEO-IoT Nuvem, pois será por meio das integrações que nossas soluções estabelecerão as interfaces de comunicações com diferentes dispositivos, oriundos de diferentes fabricantes, com diversos protocolos e meios de comunicação, inclusive com bancos de dados.

Em um ambiente sem integrações, cada etapa ou cada processo produz seus dados de forma estanque e seu compartilhamento limitado é um grande entrave à eficiência; na Indústria 4.0 temos dois tipos de integrações a horizontal vinculada à toda a cadeia produtiva indo de clientes até os fornecedores e a vertical está direcionada às atividades e funções dentro da estrutura fabril. Tendo como objetivo a integração horizontal e vertical devidamente alinhadas para um resultado otimizado.

Os dados obtidos, trocados e enviados por meio da integração entre os diferentes sistemas e a Solução GEO-IoT permitirão que a telemetria, os dashboards, comandos, alarmes responsivos, relatórios entre outros recursos possam ser apresentados para os diferentes usuários do sistema e os resultados de nossa poderosa ferramenta possam ser aplicados na operação de nossos clientes, trazendo mais gestão, mais métricas e mais indicadores.

GEO-IoT permite ampla integração

Todas as integrações de sistemas de terceiros com a plataforma GEO-IoT visam estabelecer um ambiente de transparência entre as partes, sendo necessário um levantamento preliminar básico dos recursos tecnológicos disponíveis em nossos clientes, objetivos do projeto e recursos que dispomos, com um cenário estabelecido podemos avaliar alternativas e viabilidades técnicas.

Todos os envolvidos no projeto precisam ter claramente quais são as premissas técnicas que estão alocadas para o início das atividades, quais são os ambientes de rede atuais e desejados, softwares em uso e também como será política de segurança da organização, ambiente pelos quais os dados e as informações serão transmitidos, com qual frequência, backups, redundâncias das comunicações entre muitos outros pontos de grande relevância para o sucesso do projeto.

Os tipos de dispositivos a serem usados, seus objetivos, fabricantes e interfaces podem ser sugeridos pelo cliente ou podem ser apresentadas muitas alternativas técnicas de ótima relação custo benefício, cabendo ofertas de venda de dispositivos e locação. São questões relevantes a serem consideradas durante as tratativas negociais e também no desenvolvimento dos projetos de integração é comum surgirem novos projetos e/ou adequações.

A tecnologia deve atuar para facilitar a integração

As integrações de processos, permitem que diferentes sistemas, máquinas, equipamentos e processos rotineiros em uma organização possam "trocar informações" entre si, estruturando desta forma um fluxo de dados e informações que podem ser estruturados para uma otimização de cada uma das partes bem como do todo. Por meio de uma estruturação modular, o objetivo das integrações da Indústria 4.0 é alinhar essas verticais tecnológicas:

  • Big data e análise de dados;

  • Robôs;

  • Internet das Coisas;

  • Cloud;

  • Manufatura aditiva.

A fluidez das integrações dependem muito do planejamento das equipes envolvidas e do nível de comprometimento com os resultados, por isso é fundamental que haja uma coordenação com autonomia na gestão da transferência de contéudo interno para a plataforma GEO-IoT.

Acordo de Condencialidade:

Um termo de confidencialidade específico deverá ser celebrado entre as partes para salvaguardar os dados e informações que serão trocados/compartilhados durante todo o período de contrato na prestação de serviços da plataforma GEO-IoT..

Na fase preliminar de levantamentos de necessidades e expectativas de resultados operacionais será definido em conjunto se haverá uma operação completa com as unidades GEO-IoT Local e GEO-IoT Nuvem operando de forma simultânea ou se em um primeiro momento teremos apenas uma das alternativas. Por ser uma solução escalável, o cliente possui diferente alternativas de acordo com os recursos que possui, o nível de automação, monitoramento e gestão que pretende desfrutar.

GEO-IoT aproxima sua organziação da indústria 4.0

O entendimento do ambiente técnico que a equipe de TI (Tecnologia da Informação) opera dentro da organização é de grande relevância; se é equipe própria ou terceirizada, se possuem CPD (Centro de Processamento de Dados) local ou se usa m serviços em nuvem, se os equipamentos são próprios ou locados... Entender a infraestrutura de TI é muito importante, bem como quais serão as características de sua rede de comunicação de dados após a implantação da plataforma GEO-IoT. Quais são as restrições, dificuldades e limitações que se estabelecem dentro do ambiente de segurança do cliente e de seus terceiros quando este for o caso entre outros muitos aspectos.

Durante os levantamentos de integração de sistemas serão definidos e alinhados como e quais serão os hardwares, softwares, dispositivos, bases de dados e redes de comunicação que estarão em operação na plataforma GEO-IoT.

Softwares e Bases de Dados

Tipos de softwares em uso na empresa (ERPs, PCPs, CRMs, formas de comunicação e compartilhamento de dados, tipos de bancos de dados usados e forma de integração.

 

Como se dará a comunicação entre dispositivos e equipamentos em rede?

Principais meios de comunicação:

   - redes sem fio: LoraWan, Wifi, SMS, Zigbee, RF, 3/4/5G, LTE, bluetooth

   - redes cabeadas: ethernet, Fibra óptica, cabos coaxiais, pares trançados, manga, USB entre outros.

Tipos de redes:

   - LAN: Local Area Network ou Redes Locais, interligam dispositivos dentro do mesmo espaço físico

   - MAN: Metropolitn Area Network ou Redes Metropolitanas, interligam dispositivos em diferentes localidades

   - WAN: Wide Area Network ou Rede de Longa Distância, longas distâncias a serem interligadas

   - WLAN: Wireless Local Area Network ou Rede Local sem Fio, muito comum nos acessos à internet

  - WMAN: Wireless Metropolitan Area Network ou Rede Sem Fio de Longa Distância, usado para interligar pontos remotos de interesse como filiais, fornecedores entre outros.

  - SAN: Storage Area Network ou Rede de Áreas de Armazenamento, utilizadas para a comunicação entre servidores e outros computadores.

  - PAN: Pessoal Area Network ou Rede Aérea Pessoa, possuem uma área bastante limitada, comumente utilizadas em Bluetooth e UWB.

Forma de comunicação: APIs, SKDs, Socket, 

Sistemas operacionais: Linux MacOs ou Windows

Protocolos de Comunicação: Modbus, LoRaWAN, SNMP, MQTT entre outros

Etapas da Integração

Exemplo de bons resultados a serem esperados com uma integração

Em uma operação industrial em uma empresa metalúrgica, nossa plataforma GEO-IoT poderá atuar de forma integrada aos sistemas SCADA ou PCPs e gerar indicadores no ambiente fabril, mostrando em painéis específicos as métricas da produção, metas do turno, do dia, semana, mês...  Os objetivos da organização podem ser alcançados em múltiplos níveis, dependendo do nível da integração.

Acompanhemos um cenário simplificado:

Na operação no interior da indústria, podemos iniciar por sensores nas máquinas na linha de produção (tornos, fresas e centros de usinagem), instaladas em linhas, as informações destes sensores podem ser integradas aos CLP-Controlador Lógico Programável, que é o responsável pelo controle funcional destas máquinas. Em conjunto, a integração pode ser dada com a produção, monitoramento, supervisão e controle, onde comumente temos o software SCADA, um supervisório que vinculado à operação e também ao planejamento, qualidade, manutenção e eficiência (Sistema MES). As informações desses diferentes pontos da linha de produção fluem para o ERP, intergrado ao CRM, propiciando um planejamento mais fluido da produção junto aos clientes. 

Por meio de nossa ferramenta GEO-IoT é possível:

- Documentar e auditar as paradas de máquinas e equipamentos

- Planejar a manutenção preditiva

- Priorizar equipe técnica e mão de obra

- Gerir de forma aprimorada as atividades de técnicos e operadores

- Reduzir custos com mão de obra, horas extras, adicionais noturnos entre outros

- Aprimorar o estoque e inventario de peças e partes através da manutenção preditiva

- Avaliar com melhor precisão os custos de mantunção, mão de obra e produtividade expandida

- Produzir indicadores de gestão que podem ser compartilhados em diversos setores da organização

- Aumentar a produtividade e reduzir o desgastes de maquinas e equipamentos

Com a melhor gestão dos equipamentos, há redução de custos e aumento da produtividade com incremento de rastreabilidade relacional histórica.

Conclusão:

Uma vez realizado os levantamentos iniciais por meio de nossos colaboradores ou parceiros autorizados, será produzido um documento técnico para estabelecer como se dará a integração, prazos para realização das atividades, equipes internas que deverão ser envolvidas e pré requisitos da equipe de TI, bem como custos investidos pelo cliente na linha de tempo e resultados esperados.